Rádio Liberdade 87,9
Quarta, 05 Abril 2017 10:34

‘Viveu minha vida’, diz cardiologista que denunciou falso médico em MG

Escrito por 

Depois de descobrir que teve a identidade usada por um falso médico no interior de Minas Gerais por sete anos, o cardiologista Elmer Mattos tenta somar os prejuízos causados a ele e à família. No sábado (1º), a Polícia Militar de São Francisco de Sales prendeu um homem de 43 anos que usava documentos com o nome dele para trabalhar em uma unidade de saúde da cidade. Por telefone, o prefeito do município disse ao G1 que também é vítima do falso profissional.

Elmer Mattos descobriu o crime depois de receber uma ordem judicial e ver na internet que alguém usando o nome dele havia sido contratado em 2010. “Foi quando desconfiei que alguém usava minha identidade. No mesmo instante liguei para o posto médico e, por sorte, o homem estava no plantão. Comecei a conversar com ele, a princípio inventei uma história que eu precisava transferir um paciente para a cidade e queria saber o nome do médico responsável. Mas o falso médico começou a desviar a conversa e eu acabei contando que eu era Elmer Mattos”, contou ao G1.

Depois disso, o cardiologista identificou a voz de Valdinei Brandão Alkimin. “Eu o conheci em 2009 quando trabalhamos juntos em uma cidade chamada Entre Rio de Minas. Ele chegou dizendo que havia se formado na Bolívia, mas ainda estava sem os documentos. Mesmo assim, foi contratado e trabalhou quase um mês sem documentação. Sempre que a diretoria da unidade cobrava, ele dava uma desculpa. Depois de um mês ele desapareceu”, contou.

print conversa médico falso São Fracisco de Sales (Foto: Elmer Mattos/Arquivo Pessoal)Falso médico ofereceu dinheiro para vítima não fazer
denúncia (Foto: Elmer Mattos/Arquivo Pessoal)

Depois de conseguir reunir documentos e provar para a Polícia Civil em Belo Horizonte que ele tinha sido vítima do falso médico, Elmer conversou com o homem e conseguiu que confessasse como agia. “Ele disse que copiou meus documentos e na carteira do Conselho Regional de Medicina ele colou uma foto por cima e fez cópias. Disse que nas cidades pequenas é fácil de conseguir emprego só com cópias”, contou.

O cardiologista também disse que o falso médico, inclusive, pagava pensão para o filho de Elmer desde 2016, pois ele havia recebido uma ordem judicial e, desde então, fazia o repasse. “Ele tentou me convencer de não fazer a denúncia, me propôs pagar R$ 10 mil por mês até julho para ele continuar se passando por mim. Eu não acreditei nisso”, exclamou.

Agora, Elmer Mattos está preocupado com o que mais o falso médico fez usando o nome dele. “Eu soube que ele tem um filho pequeno e não sei se ele usou meu nome na certidão de nascimento, não sei se ele comprou imóvel no meu nome ou usou no comércio da cidade. Mas o que mais me preocupa é que ele assinou muitos laudos usando meu nome, fez diagnósticos e consultas como se fosse eu. Ele viveu minha vida”, finalizou.

Prefeitura acredita que médico e preso agiam juntos
A cidade de São Francisco de Sales tem cerca de 6.800 habitantes e, segundo a Prefeitura, conta com seis médicos na rede municipal que atendem em um Pronto Atendimento e em um Posto de Saúde da Família (PSF).

Para o G1, o prefeito de São Francisco de Sales, José Sebastião de Oliveira, informou por telefone que o Executivo também é vítima do falso médico - que chegou a receber cerca de R$ 40 mil mensal. José explicou que ele foi contratado na gestão anterior a passada, era prestador de serviço e acredita que o médico e o preso agiam juntos.

"Acreditamos que o verdadeiro médico, o Elmer, seja conivente na situação, pois ele tinha contato com o homem preso. Além disso, a população nunca reclamou do falso médico, muito pela contrário, talvez por ele não ser profissional de verdade dava um atendimento diferenciado aos pacientes. Ninguém aqui na cidade está acreditando nesse golpe e como era 1º de abril quando me contaram até achei que fosse mentira. Estamos todos assustados, já acionei a parte jurídica da Prefeitura que está cuidando do problema", comentou.

Em relação à alegação do prefeito, Elmer confirmou que realmente conhecia o homem que atendia na cidade, mas nega que tinha conhecimento do caso.

A reportagem também entrou em contato com a o hospital onde o homem trabalhava e foi informado que a unidade não está autorizada a falar. O G1 ainda ligou para o celular do falso médico, que já está solto, mas as ligações não foram atendidas.

Falsidade ideológica
Valdinei Brandão Alkimin, 43 anos, foi preso no sábado (1º) em São Francisco de Sales enquanto fazia atendimento na Casa de Saúde Dr. Nelson Jacinto Borges usando a identidade do cardiologista Elmer Mattos.

O médico, que atende em Belo Horizonte, descobriu o crime depois de fazer uma consulta pela internet e conseguiu falar com o criminoso por telefone. Ele confessou que cometia o crime desde 2010 e deu detalhes de como fez para falsificar os documentos.

A Polícia Militar da cidade foi avisada e flagrou o médico, que foi preso e levado para a delegacia de Frutal. O homem confessou o crime dizendo que fez curso de medicina na Bolívia e que precisava de dinheiro para legalizar os documentos. Ele conseguiu um alvará de soltura e deve responder em liberdade.

O caso será investigado pela Polícia Civil de Itapagipe.

 

Fonte: G1 


Segunda, 18 Dezembro 2017
12:30 - 15:29
Temperatura Máxima

Mércia Lívia

botao01